Sabemos onde estamos, mas, com este Pobre País, não sabemos para onde vamos. Portugal, Alenquer, Desporto e fotos de viagens.

Links

Segunda-feira, 7 de Fevereiro de 2005

Começou o Carnaval

Perdão:

Começou a Campanha Eleitoral
Publicado por Francisco Martins às 00:18
Link do post | Comentar | Adicionar a favoritos
1 comentário:
De Anónimo a 9 de Fevereiro de 2005 às 22:06
O partido socialista está de cabeça perdida, entrando em litígio directo com todas as religiões, Católica, Evangélica e outras, por necessitar de sujeição a todas as exigências do Bloco de Esquerda com via a uma obrigatória coligação.

O catolicismo é contra o renascimento do comunismo, logo a hipótese de eventual coligação do PS com esse partido foi o primeiro rastilho.
Depois as intervenções do Bloco de Esquerda assegurando acordo pós-eleitoral com o PS e consequente legalizaçao da união de facto entre homossexuais foi determinante para que todas as religiões, mesmo as que no passado admiraram o PS, fiquem obrigadas a fazer apelo a votar noutros partidos insistentemente, por forma a garantir a não eleição quer do PS, quer do Bloco de Esquerda......................................................

Esgotados aqueles que seriam os supostos temas de campanha para a próxima legislatura, que vieram a provar-se não dispor de consistência, o PS começou a fazer campanha suja e desprezível, pois nos comícios em vez de anunciar programas de governo, discrimina o seu próprio eleitorado ao dizer que não aceita em seu comício ninguém da Trofa ou de Lisboa.
Comete ainda o crime de anunciar apoios, como o de Cavaco Silva, sabendo o país inteiro que esse seria um grande desejo nunca concretizável de José Sócrates, já desmentido pelo jornal Expresso.
Já arrancaram quase todos os painéis que prometiam os 150 mil empregos, esquecendo de alguns que denunciam ainda essa que foi a primeira grande mentira do PS.
No frente a frente, José Sócrates comete outra ilegalidade, ao prometer aos idosos um prémio de 300 euros pagos de uma só vez como recompensa por votarem nele, deixando no ar a ideia que o PS promete aumentar as reformas para esse montante. O que ele agora argumenta é que os 300 euros serão um suplemento atribuído apenas uma vez em troca do aumento de reformas.
atento
</a>
(mailto:amadoran@clix.pt)

Comentar post